13 maio, 2009

Quase um ano sem ela

Perto de fazer 1 ano de seu desencarne
bateu saudades e deu vontade de recorda-la



Em uma época em que os filhos ainda eram pequenos e eu prioriza cuidar deles  a conheci.
Ela um pouco mais velha que eu mostrava-me que era possível tornar-se mesmo que por poucos anos dona de casa e mãe em tempo integral e que isso tinha seus encantos.
Ela ,minha amiga N,era muito mais pratica e desencanada sem aquela mania que eu tinha de acertar sempre me fez ver que casa com crianças não se mantém impecável e um lanchinho desses nada saudáveis não mata ninguém se forem oferecidos apenas nas horas de aperto.
Mesmo com horário apertados e finanças idem sempre arrumávamos um meio de manter idéias e ideais.
Corríamos contra o tempo entre escolinhas de esportes,aula de musica e todo o serviço da casa para que tivéssemos 2 tardes da semana  apenas nossas.
Sempre sobrava tempo para um café ,eram tantas amostras,exposições e ensaios abertos de teatro que ela inventava,não sei onde conseguia todos esses lugares pra irmos.
Enquanto as outras mães aquelas estranhas peruas passavam as horas em salões ou na porta do colégio fofocando e falando sobre criadas,compras e griffes  ficavam sem entender como duas malucas sobreviviam com míseros jeans e camisetas e "babavam" em livros fedorentos(opinião de algumas) que comprávamos nos sebos que vivíamos visitando nessas nossas tão especiais tardes.
Eu estudava a noite e ela se fazia uma ajudante dedicada que revezava com minha mãe e marido nesse cuidar das crionças.
Mesmo com os seus quatro ainda dava conta de inventar mil projetos nos dias que os meus ficavam com ela.
Em troca eu ficava com os dela nos 2 sábados por mês que ela trabalhava como voluntária num asilo.
Muitas férias passamos juntas no sítio,eram verdadeiros comboios ,festas a fantasia,bailes animados,pescarias,passeios a cavalo ,longas conversas nas redes ,comilança e conversas em volta de um fogão a lenha,passeios de bicicleta e muitas histórias que ate hoje são relembradas por esses meninos que viraram homens e tiveram uma infância plena e feliz.
Foram 4 anos de correrias entremeados de passeios e uma linda amizade,depois mais uns 2 anos de ida a verdadeiros "antros" quando um dos meus filhos e dois dos dela resolveram montar uma banda de rock.
Conseguiam não sei onde contatos para tocarem até onde o Judas perdeu a meia e lá íamos nós.
Lembro que nessa época resolvemos escutar rock,para não ficarmos tão "abobadas" diante deles.
Sobrava tempo ainda jantarmos com nossos maridos e levarmos os pernas de pau pra dançar.
Enfim volto a trabalhar e as tardes que antes tínhamos para nós estariam ocupadas de outra forma  sempre arrumava um jeitinho de sais mais cedo para termos um tempo para um café Cultura e um cineminha.
Tínhamos sempre tanto a conversas ,papos para serem colocados em dia.
Foi N que quando minha mãe adoeceu e parei o trabalho para me dedicar a ela  me deu força e foi muitas vezes mãe de meus filhos para que sobrasse tempo e eu pudesse focar na minha mãe e suas tantas cirurgias.
O filhos crescendo e havia semanas que só eles  a viam,eu matava a saudades com conversas pelo telefone.
Cada um deles ,depois,escolheu cursos diferentes .
Um dos gêmeos dela resolveu ser pai antes do previsto e ela novamente voltou a cuidar de criança.
Era imbatível nisso mãe nata e um ser humano brilhante.
Nos ver já era bem mais difícil  raras vezes conseguíamos uma corridinha na Cultura e os tais livros,nossos amantes secretos.
Separei-me e ela sempre apaixonada pelo marido não entendia quando algo se perdeu,me apoiou incondicionalmente.
Minha mãe se foi e ela estava lá,para um abraçoe para entender o que se passava comigo.
Nos últimos anos raramente nos víamos e até os telefonemas rarearam,por falta de tempo,por falta de assunto.
Ela já não usava mais o jeans e a camiseta ,cheguei a vê-la falando de criadas e discutindo uma griffe famosa.
Ela dizia que as coisas mudam ,evoluem e eu... continuo gostando da Cultura e dos tais livros "fedorentos".
Muito do que vivo hoje com certeza a deixaria horrorizada,ela era a "normalidade " esperada,mas nem por isso uma pessoa menos especial.
Um ataque do coração, a levou ha quase 1 ano,soube por um telefonema feito pelo filho dela,que dizia que nós sempre estávamos nas melhores recordações deles e que a mãe dele sentia muita saudades da minha risada escrachada e meu jeitão moleca.
Ela havia sido cremada pela manhã e eu fiquei sem palavras.
Apenas disse que não fosse ela talvez nunca tivesse tido o gosto de uma amizade tão cumplice e   de saber o que era ser mãe 24 hs por dia e melhor  GOSTAR muito de ter feito essa opção.

Depois de receber a notícia
sozinha ...
chorei por mim ao constatar que vamos deixando as coisas pra lá, é o telefonema que não deu pra dar, o abraço que acabou ficando pra depois o eu te amo  e o pedido de desculpas.

Torço para que esse repensar esse alerta não passe na medida dos dias e da tristeza dessa despedida,que me sirva de alerta,para que eu viva mais , sobretudo,esqueça os "ses" que muitas vezes me impedem de sonhar meus sonhos.

Uma quinta feira 24 de maio

Eu chorei por mim...
por ela por seus filhos e marido.
Um dia que me fez chorar meus "mortos",
chorei 
pelas coisas que deixei morrer
como a muito tempo eu não chorava...

Denise

30 comentários:

Sara L.Miranda disse...

Adorei esta mensagem!
Muito terna e profunda!
Tem um blogue muito belo. Queria que soubesse.
Um grande beijinho

Denise disse...

Sara

Grata pelo elogio,saiba que também gosto muito do seu.

beijo
De

meuladocontido disse...

A felicidade nisso tudo está na intensidade dessa amizade.
Esse post me fez refletir, e entender que hoje tenho um jeito rude de ver e levar, certas pessoas, das quais certamente suas perdas seriam irreparáveis.
Paciência é preciso, amor nem se fale, e isso sempre existiu entre vocês, mesmo a distância.
Pessoas não morrem quando deixam boas lembranças.

Beijos e fique com Deus..
E eu espero aprender mais com essas lições.

Denise disse...

É Tyna
Transmutar a saudade em recordação faz com que o calor do amor,tome o lugar do frio da saudades.

Hoje quase 1 ano depois aprendi o valor de um olhar,uma palavra e que é preciso saber gerir o tempo e ver o que realmente é importante.

beijo

De

Gay Alpha disse...

Olá Denise!!!
Estou aqui para retribuir sua visita e também para conhecer seu blog. E preciso dizer que gostei muito. Seus escritos revelam uma mulher forte, determinada e ao mesmo tempo dona de uma delicadeza fluida e de um bom humor raro. Aprecio mulheres assim. E será um prazer receber vc novamente lá no GA!
Sobre este texto seu só vou dizer que é poderoso e verdadeiro. Adorei!!!
Grande beijo!

Laguardia disse...

Denise

Muito obrigado por acompanhar o Blog Brasil Liberdade e Democracia. Seus comentários são benvindos.

Temos que nos unir na luta por uma Brasil com justiça social e sem políticos que estão se lixando para o povo, políticos que não têm ética e que são desonestos.

Para que possamos refazer nossas forças nesta luta, nada melhor do que ler as belezas que escreve em seu blog.

Muito obrigado

Denise disse...

Querido amigo do Laguardia ,uma das coisas que me faz amar Minas e os mineiros é toda a capacidade e discernimento politico.

Gosto sobretudo da forma de lutarem pelas coisas q acreditam.

amo politica,lamentavelmente não os politicos (rs)

grata pelo comentario

De

Marcelo Cândido disse...

obrigado por seguir meu blog
abraços!

RP disse...

hei... tenho lido seus coments sempre tão espirituosos nos blogs dos que eu acompanho que resolvi vir te convidar pessoalmente pra me dar suas opiniões sobre meus textos.
Me visita!

Beijo

RP disse...

ADOROO!

Fausto Sotam disse...

Esse texto tocou-me profundamente, sinceramente, e ele é uma bela homenagem á sua amiga. Como o ser humano vai adiando situações porque pensa que vive "eternamente", como é natural só de dá valor ás situações, amizades,ou coisas quando elas já não existem mais, criamos uma falsa confiança, e nela nos agarramos estupidamente, mais uma vez digo que gostei do seu texto, e que ele sirva para os que o lerem, valorizarem cada segundo da , enaltecendo cada momento das suas vidas, dando graças por respirarem (a Vida). Com muita Paz.

Denise disse...

Marcelo,agente precisa acompanhar coisas que acrescentem.
Ou distraiam,ou divirtam.

É por isso que estou sempre por lá.

beijo

De

Denise disse...

Rapha seu exagerado rs

oce ADORA o que (risos)

beijo

De

Denise disse...

Sim Fausto ,há de aprender e estar sempre viligante.

beijo

De

A Língua Nervosa disse...

Adorei estas linhas...
amizade é um grande presente na nossa vida! Vale muito!!!

Gay Alpha disse...

Pois é, menina!!!
Eu jurei que tinha entrado numa máquina do tempo mesmo... Pô, qualquer mulher sabe que ombreira é coisa hoje exclusiva para jogador de futebol americano... hehehehe!!! Mas tb não jogo pedra, afinal já usei calça baggy... pronto, falei!!! Hehehehehe!!!
E sinta-se amiga, pois é assim que te vejo!!! E que idade que nada, com toda falta de respeito (hehe), mas vc tá muito gata!!!
Bjos!

Aline Chaves disse...

e eu chorei junto contigo.

aqui é tudo tão bom e doce.

gosto muito.

Helô Müller disse...

Puxa Denise ! Fui pega de surpresa com a sua mensagem de hoje ... Entrei aqui por estar em falta com vc, e fiquei estarrecida como tudo o que escreveu tem a ver com o meu momento atual, ainda que com personagens e situações diferentes, é claro ! Mas a DOR, costuma ser similar a todas as pessoas ...
Estou com minha mãezinha em estado terminal e deplorável ... e nem ousarei tentar definir a dor que me acomete a alma ! Li que perdeu a sua, e obviamente que me entenderá ! Aliás, estou sentindo isto na pele - com a sua morte anunciada - e nunca imaginei que a partida de nossos pais, nos matasse tb em algum lugar ...
Por outro lado, sinto e sempre senti, falta de uma amizade cúmplice, como esta que aqui definiu ! Invejável e feliz foi vc, em tê-la tido em sua plenitude, algum dia ! Isto não tem preço ...
Como adoraria ter uma destas ao meu lado agora - ainda que tenha meus queridos irmãos - mas uma pessoa que te ame, e fora do legítimo laço consanguíneo, consegue nos guiar de forma mais imparcial, sei lá ! Enfim, adorei ler vc ... aliás, como sempre !!
Tb estou em falta e sem cabeça prá nada ... as visitinhas sociais blogais, não estão sendo tão prazerosas como antes ! Mas, como disse Clarice, ainda há a vida ...
Vamos em frente que atrás vem gente ! Desculpe pela não constância, mas não tem dado ! O meu Blog tem me servido de terapia, quando me desligo de tudo, concentrada na escolha da melhor imagem e poesia !
Beijos agradecidos !
Helô Müller

Mauri Boffil disse...

que linda e triste homenagem.
devemos sempre cuidar de nossos amigos, companheiros e as pessoas que nos rodeiam, pois, nunca saberemos quando essa pessoa estará longe.

CARLA FABIANE... disse...

oi amiguxaaaaaaaaaaa...
amo sua visita, viu?
assim vc me faz chorar...
mais vou me apegar as boas lembranças, e sorrir...
volte para tomar um cafézinho comigo...
beijos em seu coração!

JF disse...

Bonito post e sensível.
Obrigado pela sua visita e seja bem vinda.

Um beijo

Izinha disse...

oi amiga,

uma grande amizade não se perde jamais e vc a tem no coração.

bjos!

Denise disse...

Rapha
O que você esta fazendo aqui ooooooooo
era pra estar amarrado e amordaçado.....e sorrindo rs

já te gosto um bocado garoto

De

Denise disse...

Aline linda

Você tem um espaço tão delicioso,que não consigo deixar de ir la passear.

grata tb por ter vindo por aqui me visitar.

beijo

De

Denise disse...

RP
Fui lá rapidinho e adorei !

PROMETO que voltarei.........e vc ficara de saco cheio de mim rs

beijos

De

Denise disse...

Mauri

Amando as suas respostas por lá.

Qro a tristeza das despedidas,elas nos ensinam que nada é pra sempre e um até logo é o q de fato acontecerá.

ensinam tb agente a valorizar mais as coisas simples e dar o devido valor a cada coisa.

beijo

De

Denise disse...

Vivian

Adoro tb cada linha sua.

portanto estamos quites (risos)

beijo

De

Denise disse...

Carla ...Carla

Também gosto muito de ir visita-la........MUITO.

afagos

De

Denise disse...

JF

Você só se sensibilizou e percebeu tudo que continha nesse texto,porque é alguem muito sensivel,é o que percebo por lá no seu blog quando lá vou.

grata

beijo

De

Helô Müller disse...

Um beijo no coração !!