18 dezembro, 2007

Eu quero o DELÍRIO


ESCOLHA
Apesar do medo
escolho a ousadia.
Ao conforto das algemas, prefiro
a dura liberdade.
Vôo com meu par de asas tortas,
sem o tédio da comprovação.
Opto pela loucura,
com um grão de realidade:
meu ímpeto explode o ponto,
arqueia a linha,
traça contornos para os romper.
Desculpem, mas devo dizer:
eu quero o delírio.




Lya Luft

Um comentário:

kleiton* disse...

Lindo poema da lya como sempre, iremos delirar muito ainda, imagem linda, bem ao meu gosto, rs.

bjos SEu Dono