16 maio, 2009

Não,eu não estou de volta

Não, não precisa se levantar, não. Você pode ouvir tudo isso aí mesmo, no sofá. E pode fechar também esse sorriso. Eu não estou de volta.
 Está ouvindo?
 Dirigi até aqui, passei pelo seu porteiro curioso, subi por esse seu elevador cheirando a mofo, pra lhe dizer exatamente que eu não estou de volta. Que você pode ficar com tudo. Com seu livros empilhados, com seus discos mal guardados, com suas plantas quase-mortas, por não serem mais regadas. Você pode ficar com tudo. Com esse seu vaso de flores amarelas de plástico, empoeiradas pelo que vem dessa janela sempre entreaberta. Pelo que vem com o cinza dessa cidade imunda. Fique com tudo. Com esse seu apartamento minúsculo. Com essa caixa de fósforos do décimo sexto andar. Não quero nada. E só achei que deveria saber que você pode ficar com tudo. Com os meus beijos e com os meus apertos, inclusive. Com os meus carinhos feitos quando eu, tolo, acreditava que você era o que eu andava precisando.
Só achei que deveria saber que esta é a última vez que me viu por aquele olho-mágico da porta, antes de me espiar por ele, de costas, indo embora, de uma vez por todas, por aquele corredor com marcas de mãos pretas pelas paredes. Achei que precisava lhe avisar que não quero mais nada. Que você precisava saber que esta é a última vez que estou pisando nesse seu carpete desfiado. Olhando para todo esse caos, que um dia chegamos a chamar de paraíso. Não, não precisa se levantar, não. Você pode ouvir tudo isso aí, com essa bunda grudada no sofá.
Eu só passei mesmo pra dizer que não quero nada de volta. Nem aqueles beijos todos. Poderia fazer com que cuspisse um por um, agora mesmo, de joelhos sobre o tapete. Mas eles não vão me fazer falta.
E eu estou meio com pressa.
Me desculpe, mas eu só passei por aqui realmente pra avisar que não,
eu não estou de volta.

14 comentários:

Francisco disse...

Que maneira apaixonada de querer voltar dizendo que não está de volta!
Ou será que entendi mal!
De qualquer forma, com tantas lembranças em detalhes, vale a pena voltar.
Um beijão!

Fofa disse...

Ai... eu fico tão confusa com as mensagens nas entrelinhas...

Beijocas

Denise disse...

Francisco
Neste caso não sei quem escreveu...........mas ha coisas que quando finitas não tem volta..........ao menos para mim rs
carinhos meus

De

Denise disse...

Fica não Fofa ...........aposto q tu entendeu tudo direitinho rs
carinhos

De

Olavo disse...

Belo texto..com certa dor reprimida mas colocada para fora..pelo menos acho essa a intenção..belo texto mesmo.
Bom final de semana
Beijos

adriana disse...

:)

Denise disse...

Olavo
Por vezes acho em alguns textos sentimentos que gostaria de dizer ,mas me fogem as palavras.
E o caso deste texto.

Há sim esse leve traço de amargor que você mencionou,mas todo final é sempre amargo.

Carinhos meus

De

Denise disse...

Adri

Piscada e carinho pra você também linda

De

ellen disse...

Optimo texto Denise!
está tudo escrito por isso não são precisas mais palavras :)

Beijinho

Denise disse...

Sim Ellen,há certos momentos que é preciso usar palavras dos outros para dizer o que nos vai por dentro.

afagos
Denise

₤α fєммє disse...

Perfeito!!!Direto ,franco,honesto.
Fazia tempo que não passeava por aqui.
Parei nesta postagem para lhe dizer de minha admiração.
Beijos querida.

Denise disse...

Fe Fe moça sumida!

Lindo demais esse texto não é?

Carinho meu para você

De

loka pela lua disse...

é realmente esse texto é tudo de bom!
quem vive de passado é museu!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
ninguem merece voltar ,nossa n somos caraguejos,bola pra frente,a fila anda é por ai? simmmmmmmmmmmmmmmmmm
lindo,lindo lindooooo
bjosssssssssssss

Denise disse...

Anda Anda e Anda né louquinha
e agente que num é besta nem nada correr juntos com os lobos auuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

Denise (ando num assanhamento que só)